Destaques Grêmio Lucas Von Opinião

VOU DIZER DE QUEM É A CULPA PELA ELIMINAÇÃO

Opinião de Lucas von
Compartilhe

Até acho que foi pênalti, mas não dá pra jogar toda culpa no árbitro pela derrota de hoje: o time não jogou nada. Paulo Victor telegrafou seu posicionamento em TODOS os pênaltis: se movia de um lado pro outro em cima da linha, permitindo aos cobradores simplesmente chutarem no lado oposto ao que ele tava indo, no contrapé (além de ser questionável se o segundo gol não seria defensável). Mas não dá pra colocar a culpa nele, né? Dava pra ter se classificado tranquilamente apesar – e bem antes – disso.

Pepê sentiu o jogo, não apareceu, sumiu. Péssima atuação, coroada com uma caminhadinha desinteressada no pênalti que culminou no erro da eliminação. Mas não dá pra culpar o guri, né? Time todo jogou em nível parecido. E o André? Mal novamente, ok. Nenhuma novidade. Mas a bola nem chegava nele, não dá pra colocar toda a culpa no cara. Já Kannemann, que via de regra vai bem, hoje foi mal. Se precipitou: acho que o lance nem era claro de gol. Imprudente, deixou o time com um a menos. Mas vamos combinar que tem, no mínimo, uma meia dúzia na frente dele na lista de grandes responsáveis pelo vexame.

Renato foi mal também. Escalar o Rômulo pra substituir o Maicon é pedir pro adversário montar acampamento no teu campo. André intocável no ataque, Pepê em jogo encardido… E Luan e Tardelli assistindo do banco. Muito mal nosso treinador, é verdade. Mas a culpa não é só dele: quem entra em campo são os jogadores, que se arrastaram. Ah, então a culpa é das ausências de Everton e Maicon? Claro que não. Temos time pra segurar vantagem de 2×0 contra o Athletico até com 5 desfalques. Atlhetico que, diga-se, estava desfalcado de 11 atletas. Claro que Cebolinha pesa, muda tudo. Mas não é por conta disso especificamente que fomos patéticos.

Tivemos azar, né? A lesão do Leo Gomes, além de queimar uma substituição precocemente e gerar decréscimo de qualidade no setor, resultou no primeiro gol deles. Mas também não dá pra colocar a culpa no azar. Foram poucos minutos com um a menos, “demos mole”. E falando em dar mole, e a imprensa, hein? Foi irritante. Ao menos pra mim. Tanto a regional, quanto a nacional. “Copa dos Gaúchos” pra cá, “Gre-nal na Final” pra lá, “Gre-nal do fim do mundo”, blá blá blá. Isso só deu gás pra eles e diminuiu nossa concentração. Mas, obviamente, a culpa pela derrota não é da imprensa. Não sou lunático de concluir uma coisa dessas.

De quem foi a culpa então? Vos digo. A culpa foi dela. Da maldita. Da sedutora e perigosa… SOBERBA. Sim. Ela vai e vem conforme o time apanha ou triunfa. O Grêmio que apanha é quase implacável na sequência. O Grêmio que é colocado em um pedestal vira e mexe tropeça no pedestal e cai sentado na própria perna. Se tivesse perdido pro Palmeiras, não teria sido eliminado hoje, tenho certeza disso. Esse elenco depende muito da transpiração e do sangue nos olhos. Os jogadores acreditaram no discurso do Renato de que “temos o melhor futebol do país”. Mas não temos. Nem quando triunfamos. Eventualmente temos bons momentos, até bonitos mesmo. Mas longe de ser algo tão consistente, tampouco “o mais bonito do Brasil”. Somos competitivos, isso sim. Mas quando achamos que somos o Real Madrid dos Pampas, naturalmente estufamos o peito e baixamos a guarda. E aí nossa competitividade cai drasticamente.

Essa soberba parece ter feito os atletas gremistas acreditarem no discurso auto-elogioso de Portaluppi e também nas manifestações circenses da imprensa, que já desenhava um Gre-Nal na grande Final da competição. O Grêmio entrou em campo na Arena da Baixada NITIDAMENTE FOCADO NO GRE-NAL. Sabe aquele “Modo Pontos Corridos”, quando o time entra à passeio no Brasileirão, com a cabeça distante? Com a cabeça nas Copas? Entramos assim em plena Copa. Com a cabeça na Final. Kannemann tava pensando no Guerrero e se esquecendo de Nikão, Marco Rúben e cia.

A soberba tem esse poder: juntar fatores aparentemente inofensivos que, somados, são fatais. Escalar Rômulo não é tão grave assim. Ficar alguns minutos com um jogador a menos em campo por causa de lesão não é o fim do mundo. Já ganhamos com tudo isso, até com árbitro errando contra, com Paulo Victor jogando mal, desfalcados do Everton, com tudo isso e muito mais. Mas não com tudo isso somado. E ainda com o time trotando em campo, deixando o adversário jogar, marcando como se fosse um rachão, desconcentrado e mal escalado. É muito fator somado. E a maioria desses fatores… Pode colocar na conta dela.

Ou o Grêmio mata essa soberba, ou ela vai nos matar de novo, na Libertadores. E o Flamengo é ainda mais letal que o Athletico. Se nossa soberba se aliar a Gabigol, Arrascaeta, Bruno Henrique e cia, o resultado pode ser devastador. Deixemos que ela seduza apenas os rubro-negros. Esqueçamos dessa ordinária.

Lucas von.

Lucas von Silveira | TT @lucasvon
IG @lucas_von | FB /olucasvon

Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Compartilhe

Você vai gostar disso