Comissão Técnica Destaques Direção Grêmio Lucas Von Opinião

TODOS OS LADOS DA CONTRATAÇÃO DE THIAGO NEVES

Opinião de Lucas von sobre tudo que envolve a chegada do novo reforço tricolor
Compartilhe

De forma geral, achei boa aposta. Valores razoáveis (pelo que dizem) e, principalmente, apenas 1 ano de contrato. Mas essa contratação do Thiago Neves, sobretudo considerando que Diego Souza também deve estar chegando, mostra dois lados de uma moeda.

O LADO POSITIVO

– TN é muito bom jogador. Muita gente analisa e critica por 2019. Primeiro: até o meio do ano ele foi bem. Cruzeiro foi Campeão Mineiro invicto (40 jogos sem perder naquele período) e primeiro colocado GERAL da Libertadores. Perderam pro River nos pênaltis, no mata-mata. Depois a maionese desandou e todo mundo foi mal, mas não significa que não tinham bons jogadores no grupo.

– Não vejo extra-campo como problema. TN não tem largo histórico de confusão. Tem um histórico muito mais de vencedor. E Renato, além de lidar bem com isso, conhece bem o jogador, são amigos. A grande crise que desencadeou episódios polêmicos com o TN no Cruzeiro se deu a partir de áudio vazado no qual ele cobra salários atrasados ao Presidente, certamente em nome do grupo. Mostra que exercia certa liderança junto aos seus colegas e… Vamos combinar, né? Trabalhar de graça não dá. Errado não é quem cobra, é quem não paga. E o Zezé espalhou o áudio, quebrando totalmente a confiança do atleta.

– Ótimo negócio de oportunidade. Aproveitando o ano horroroso do Cruzeiro e o desentendimento do jogador com dirigentes, Grêmio contratou sem custos e com salário muito abaixo do que ele costumava ganhar. Cenário impossível há 6 meses. E, além das cláusulas de produtividade e do ego do jogador que certamente farão com que ele queira mostrar serviço e dar a volta por cima, o contrato de apenas 1 ano o obriga a ir bem pra conseguir renovar com o Tricolor ou assinar com outro grande em 2021. Se fizer um “ano de André”, no próximo janeiro estará num Avaí ou Goiás da vida.

– Não será novo Tardelli. Conforme dito no parágrafo anterior, valores baixos e contrato curto resguardam o clube dessa possibilidade. Se não jogar nada e for um fiasco retumbante, o prejuízo é pequeno e termina logo ali.

O LADO NEGATIVO

– O negócio com TN mostra como a Direção do Grêmio teve sorte nesse episódio. Uma sorte parecida com aquela de quando tentaram contratar o técnico Cristóvão – e outro pior ainda que não lembro o nome agora -, não conseguiram nenhum e foram no Roger. Lembram? Isso é sorte. Há 1 ano estávamos tentando TN numa troca que envolvia Luan. Seria uma negociação muito prejudicial ao Grêmio, considerando a idade do TN e até mesmo os valores que o Luan nos rendeu indo ao Corinthians. E certamente TN viria ganhando o dobro – ou algo perto disso – do que vai ganhar agora. Preocupa um pouco ver o tipo de avaliação do cenário que fizeram ano passado.

[a partir daqui, incluo Diego Souza na análise]

– A média de idade do nosso time tá ficando extremamente alta. Isso não é bom nem para os jogos em si – probabilidade grande do time baixar o ritmo no segundo tempo -, nem para a temporada como um todo, de calendário cheio e desgastante.

– O remédio que a Direção deve usar pra sanar o parágrafo anterior é o famoso “usar a base”, coisa que, inegavelmente, o Grêmio faz bem. Mas usar a base sempre não é garantia de sucesso. Nem todo guri da base tá pronto, e nem todo guri da base será bom jogador. Rejuvenescer a equipe com a base pode até ajudar no fôlego, mas não necessariamente com a qualidade pretendida. Vai na contramão do que o clube vinha fazendo tão bem até aqui: montar times competitivos sem depender da base e ir colocando os guris aos poucos, lapidando, cavando espaços no time… Agora devem enfiar uma gurizada à forceps pra rejuvenescer o grupo. E aí teremos os caras de qualidade indiscutível que não sabemos se ainda têm pernas e os guris cheios de gás que não sabemos se têm qualidade ou se estão prontos. Temerário.

– Acho que esse é o ponto mais negativo dessa história: parece que o Grêmio segue contratando à moda antiga. Indicações do Renato majoritariamente. Estamos em 2020, pagamos um software alemão extremamente completo pra mapear o mercado, com dados, nomes etc. Temos um setor de analistas de desempenho, olheiros, tecnologia… E “não tem ninguém jovem disponível”, disse o Renato. Não tem na cabeça dele. No mercado tem. Com criatividade e informação – e talvez um Executivo de Futebol debruçado nisso o tempo todo – daria pra pensar em muitas alternativas interessantes – e relativamente jovens, pra servir ao clube por mais tempo. Mas se as contratações continuarem surgindo de cafezinho do Renato com o Romildo e dica do amigo do vizinho do conselheiro que viu não sei quem jogando não sei onde… Aí, realmente, o mercado fica bem difícil de ser explorado.

É isso. Nem tão ao céu, nem tão ao inferno. Vamos torcer pra dar certo. Tem chance sim. Sobretudo se vierem mais reforços.

Saudações azuis, pretas e brancas,
Lucas von.

Reprodução – Grêmio

Compartilhe

Você vai gostar disso