Comissão Técnica Direção Grêmio

Grêmio limpa o departamento de futebol, mas não pode errar novamente

Romildo Bolzan e seu poder de tomar decisões quando é necessário
Compartilhe

Demorou dois anos para que a diretoria do Grêmio percebesse a incompetência notória do departamento de futebol, ao lado de comissão técnica e demais colaboradores. O presidente Romildo Bolzan Jr., juntamente com o conselho de administração, agiram de forma correta com as demissões, mesmo que alguns jogadores do elenco não concordam com a tal decisão tomada pelo mandatário do clube.

Assim como foi a entrevista polêmica dada pelo  Kannemann ontem, o argentino é conhecido pela sua vasta sinceridade e acho que não foi nada que seja motivo para criar turbulência e crise no clube. Quem conhece o Romildo Bolzan, deve saber que ele sempre foi um democrata, com certeza irá conversar com o zagueiro sobre o descontentamento do mesmo e contornar a situação para que fique claro entre as partes. Apenas confiem no gordinho.

Inclusive, o presidente Romildo Bolzan publicou, em sua conta no Twitter, uma mensagem falando novamente a respeito dos critérios para as demissões no Grêmio. O mandatário Tricolor se manifestou pouco tempo depois das críticas feitas pelo zagueiro Kannemann.

Na mensagem, Romildo volta a afirmar que “as mudanças no Grêmio aconteceram de forma criteriosa, com respeito e agradecimento aos profissionais que nos deixam após importante trajetória”. Internamente, porém, as manifestações do zagueiro não foram bem digeridas.

Claro, é importante as declarações do Kannemann, e um jogador como ele, que sempre honrou a camisa quando esteve em campo, vê com os próprios olhos que algumas decisões não foram corretas (na opinião dele), é preciso que essa situação seja resolvida, principalmente quando ele diz “ter pessoas que não agregam ao clube, e foram mantidas.” 

Foram demitidos sete funcionários que trabalham há anos no Tricolor. Segundo nota divulgada no site oficial do Grêmio, o motivo das demissões é o “processo de reorganização na estrutura profissional do departamento de futebol”. 

Foram desligados o preparado físico, Rogério Dias, o preparador de goleiros, Rogério Godoy, os fisiologistas José Leandro e Rafael Gobbato, o fisioterapeuta Henrique Valente, a nutricionista Katiuce Borges e o assessor de imprensa João Paulo Fontoura. Além deles, o diretor médico do Grêmio, Saul Berdichevski também resolveu parar após 30 anos de serviços prestados ao clube.  O presidente apresentou o novo comando médico, são eles: Ciro Simoni, Carlos Roberto Galia e Richard Gurski. Os médicos Paulo Rabaldo e Márcio Dornelles seguem trabalhando normalmente.

Em relação aos novos funcionários que serão responsáveis pela preparação física e saúde dos atletas, os nomes que chegaram são: o nutricionista Guilherme Oliveira, o fisiologista Marco Aurélio Mello, o Marquinhos, ex-São Paulo, o preparador de goleiros Mauri Lima, ex-Corinthians, e o preparador físico Márcio Meira, que estava na seleção da Tailândia.

Só não concordo que as demissões no departamento tenha sido feitas no meio de uma pré temporada, com profissionais diretamente ligados à recuperação física, o que prejudica o andamento das atividades. Agora é esperar os novos funcionários para que se adaptem o mais rápido possível e desta vez, não podemos errar. Chega de comodismo.

Divulgação | Grêmio FBPA

Compartilhe

Você vai gostar disso