Destaques Grêmio Lucas Von Opinião

FORÇAS DA NATUREZA

Opinião do Lucas von sobre o duelo decisivo da semifinal brasileira na Libertadores
Compartilhe

Tem coisas que simplesmente acontecem, pro bem e pro mal. São forças da natureza que não temos como controlar. Não adianta a gente gostar, desgostar, concordar ou discordar: elas simplesmente acontecem.

Se a Rainha da Inglaterra resolver dar uma festa nos jardins da exuberante e imponente Casa de Windsor, só resta a ela torcer para que não chova. Nem todo seu poder e sua riqueza são capazes de segurar uma chuva que brota do céu quando bem entende. Tampouco sua grande influência junto aos mortais será útil para negociar com a chuva um eventual adiamento de sua chegada. Não dá. Ela chega quando quiser. E ninguém consegue pará-la.

O homem mais rico do mundo, curtindo sua grana com tudo de melhor que o dinheiro pode lhe proporcionar, querendo ou não perderá sua juventude. Mesmo se dobrar sua fortuna, seguirá envelhecendo no mesmo ritmo de um mendigo. Nem sua riqueza, nem seus funcionários, nem seus amigos importantes, nada, nem ninguém poderá fazer o tempo parar. Ele seguirá passando: escorrendo pelos dedos calejados do homem mais simples e pelos dedos enfeitados de ouro do homem mais poderoso. No mesmo ritmo. E não há negociação: o tempo, simples e implacavelmente, não para.

Tem uma força da natureza que também não há como controlar. Se chama “Grêmio em Copas”. Quando as cores azul, preto e branco se encontram em um gramado de Copa, algo acontece no Universo. Tem dias que essa combinação causa estragos de terremotos, tornados, tsunamis. Passa por cima, arrastando o que houver no chão; derrubando gigantes, arruinando milionários, calando multidões. E ninguém consegue explicar direito como esse fenômeno se dá. Só conseguem admirar. Temer. E torcer para que naquele dia e hora esse vulcão chamado Grêmio em Copas esteja adormecido. Porque se ele resolver entrar em erupção, não tem como segurar.

Se o time entrar em campo com essa força da natureza correndo em suas veias, estaremos na Final: tão certo quanto o preciso e imponente nascer do Sol no dia seguinte. Nossos jogadores só precisam entrar em campo concentrados e inspirados, porque o resto a camisa faz, transformando esses atletas em verdadeiras forças da natureza: capazes de passar por cima de tudo e todos que estiverem no caminho; com a volúpia de um caudaloso rio que, sem pedir licença, corre, selvagem e veloz, ao encontro do mar.

Se essa força da natureza aparecer quarta-feira no Maracanã, não adianta a imprensa torcer pelo Mengão na Final, o Galvão Bueno achar que o Rubro-Negro tem mais time ou o Casagrande acreditar que o placar foi justo ou injusto. Tampouco importa se a Conmebol gostar, desgostar, concordar ou discordar de qualquer resultado: quando se trata de Grêmio em Copas, essas coisas, quando bem entendem, simplesmente acontecem.

Saudações azuis, pretas e brancas.
Lucas von.

Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Compartilhe

Você vai gostar disso