Destaques Grêmio

Do Departamento Médico para a titularidade absoluta! Conheça Juliana Oliveira, atacante das Gurias Gremistas

Compartilhe

Era 2006, quando um filme citou: “Nunca deixe ninguém dizer que não pode fazer uma coisa. Se você tem um sonho, tem que correr atrás dele. As pessoas não conseguem vencer e por isso dizem que você não vai. Se você quer uma coisa, corra atrás!”. Aquela cena onde um pai ensina essa lição sobre a vida para seu filho mais novo, emocionou multidões pelos cinemas do mundo, mas aqueles atores mal sabiam que aquelas palavras poderiam representar a determinação de uma certa atleta no interior de São Paulo. Uma atleta que 12 anos mais tarde, se recuperaria de uma lesão grave e se tornaria um dos principais nomes de um time que tem por apelido “IMORTAL”.

Quando esse mesmo filme mostrou um candidato para uma vaga tendo que enfrentar todas as adversidades e quatro pessoas do alto escalão de uma empresa, para conseguir aquilo que tanto sonhava, também não previa que uma atleta após enfrentar tantas críticas vindas por todos os lados e desconfiança, calaria aqueles que tanto duvidavam, fazendo os 2 gols da estréia de seu time na elite, sendo o 1° com apenas 3 minutos de partida – o segundo mais rápido do campeonato nacional.

eu fiquei muito feliz e honrada, pois era estréia do time (Grêmio), então nada melhor que vencer. Fazer os gols teve uma sensação especial, sou grata à Deus por ter me capacitado daquela forma maravilhosa” – Juliana Oliveira

Ju Oliveira, ou melhor – Juliana Lima de Araújo de Oliveira, nasceu em São Paulo, no dia 02/05/1996. A atleta iniciou sua carreira bem cedo, já aos 16 anos, no Centro Olímpico – local que até hoje é conhecido por ser o pontapé inicial de grandes craques nacionais.

Em 2014 foi para o São Bernardo, onde iniciou, de fato, sua carreira vitoriosa e coleção de títulos.
Já se destacando individualmente, não demorou para fazer de um grande clube sua nova casa, indo já no ano seguinte (2015), para o Audax.

No ano de 2016, fez parte do time vitorioso que formou-se através da parceria entre Audax e Corinthians. Neste ano, ainda, ergueu seu primeiro grande troféu, vencendo a Copa do Brasil!

No ano seguinte, em 2017, chegou no leão de Recife. Clube onde não só se destacou pela potência do chute e visão ímpar de jogo, mas seria bicampeã estadual de forma consecutiva (2017-18).

Porém, em 2018, veio a tão temida lesão na LCA (que é quando ocorre a ruptura ou estiramento do tecido que liga o fêmur à tíbia, na altura do joelho). E isso, infelizmente fez com que a jovem promessa ficasse afastada dos gramados!

Num país onde o futebol feminino caminha em passos lentos para a vitrine e ser atleta se tornou um exercício de superação, Juliana poderia ver ali seu caminho para tomar outros rumos. Se já é difícil uma carreira no futebol, naquele momento, tudo caminhava para um fim derradeiro. Críticas, se sentir impotente por não conseguir fazer aquilo que se propôs, estar em um caminho que parece sem brilho, haters, desconfiança, medo de não voltar a ser a mesma atacante de antes, cansaço por não ver todo o seu potencial reconhecido,… os motivos eram muitos para transformar as lágrimas em uma estrada para um caminho longe daquilo que até então amava.

Porém, por algum motivo, ela desenvolveu um desejo incontrolável por fazer o que era preciso. A palavra “disistir”, foi riscada de seu dicionário, e ela transformou a dor costumeira em vontade de crescer. Transformou o sucesso em objetivo e superação em sua realidade. Ela suou, sentiu dor, mas, retornou mais determinada do que nunca e nos gramados, vestindo a camisa da Ponte Preta, contribuiu em 9 vitórias, balançando as redes 7 vezes!

É difícil clubes quererem alguém que está voltando de lesão, mas graças a Deus e com o pensamento sempre positivo a Ponte Preta me fez proposta e fiz grandes jogos!” – Juliana Oliveira

Sua resiliência foi tão louvável que foi reconhecida e recebeu a chance de atuar no tricolor, e aqui, mesmo chegando no final de 2019, em apenas 8 jogos balançou as redes 6 vezes. Se tornou a principal artilheira do time, desde que entrou em pagos gaúchos, e conquistou a titularidade absoluta na equipe.

Todos sabemos que o futebol é um jogo de momento e que as cobranças sempre virão. Muitas vezes até as pessoas mais próximas parecem rivais. Elas parecem apenas cobrar o suor, o limite, mas, Juliana é uma atleta que parece exercer essas críticas como uma impulsão para ser melhor em cada partida. Mesmo quando não marca, ajuda diretamente na vitória. Quando é vista por errar, é porque participa ativamente do jogo, sem se esconder. Ela sabe do que é capaz e busca seu melhor desempenho possível. Ela sabe seu propósito e luta para mostrar em cada 90 minutos uma melhor versão de si mesma, elevando o mais alto possível aquele escudo com três cores.

Juliana, hoje, é uma jogadora com a cara do Grêmio. Aguerrida. Que busca, com vontade, o jogo. Que deixa o melhor de si em campo e procura de todas as maneiras o gol. Pode ter suas limitações, mas faz o melhor com suas armas e potencial, ajudando diretamente o time tricolor a ficar na 6° posição da A1, com 3 vitórias em 5 partidas.

Sempre tive muita vontade de vestir a camisa do grêmio e graças a Deus consegui realizar esse sonho. Com muita dedicação e foco, conseguir a titularidade em cada jogo é especial para mim.” – Juliana Oliveira

 

Foto: Jessica Maldonado
Foto/Divulgação Instagram da Atleta

Compartilhe

Você vai gostar disso